domingo, 6 de abril de 2014

David Bowie is

Vou confessar pra vocês que, quando ouvi falar desta exposição, intindi nada. Pra mim David Bowie era um cantor pop dos anos 80 que tinha feito um filme pra Sessão da Tarde (Labirinto)... e só. Qual seria o sentido de toda uma exposição-homenagem em vida? Como ficaria Elton Jhon nesse contexto?

Santa ignorância, Batman! Eu simplesmente desconhecia a existência de todo um background bombástico nos anos 70. Porque, veja bem, David Bowie foi o precursor do glam rock, o que quer dizer que ele inspirou Queen, e a produção do Rock Horror Show, (Ney Matogrosso, de certeza) só para citar alguns. 


David Bowie assumiu um caráter completamente andrógino no início dos anos 70, uma mistura de roupas femininas e masculinas + maquiagem + brilho, que conseguia deixar o povo confuso. Até porque, na altura, ele era um ser casado e com filho. Inclusive, apesar de ter se "assumido" gay, hoje em dia ele está casadíssimo com a top model Inman. Parece que foi só golpe de marketing. Porque bom marketeiro ele é, e o maior exemplo disso foi a criação de seu personagem Ziggy Stardust.


Durante o período mais famoso de David Bowie (início da década de 70) ele foi Ziggy Stardust, um extra-terrestre andrógino caído na Terra. Parece tosqueira, mas não é, porque ele representava (compunha e cantava também, claro) loucamente bem. A ponto de ficar ofuscado pelo personagem. Há certa altura ninguém mais queria saber de David Bowie, só de Ziggy Stardust, e ele, cheio de dorgas na cabeça, deu uma enlouquecida com a situação, e cortou laços com o ET repentinamente.   

Na exposição do MIS eu descobri isso tudo. Descobri também que depois de muita rehab, ele virou ícone super pop. Descobri que ele representava, pintava quadros e compunha as próprias músicas (se bem que muitas delas usando um programa chamado Verbasizer que cria letras juntando frases prontas ramdomizadas). Descobri que ele praticamente lançou Alexander Macqueen! Descobri que já tem marromenos umas cinco décadas que ele faz sucesso, e que eu curtia e conhecia uma série de músicas dele, sem saber que eram dele (que eu sou analfabeta musical), tipo "Under Pressure",  "Changes", "The man who sold the world", "Rebel Rebel" e a minha preferida do momento "Space Oddity". Descobri que ele sempre estava a frente do seu tempo. 

O zóio colorido são sequela de uma briguinha de infância.

Pontos negativos da mostra (nem tudo são flores):
1. Ao entrar na exposição, todo mundo recebe um audio-guia. Até aí, normal. Só que nem tanto, porque ele tem um sistema diferenciado - é ativado automaticamente sempre que aproximado de uma faixa diferente. Intaum que você tá lá andando, quando de repente começa a tocar uma música tema daquela parte da exposição na sua cabeça. Genial, não é? Nem tanto... porque, né? Não funciona direito. Devem ser interferências, porque o som ficava sumindo o tempo todo assim sem mais nem menos, mesmo quando eu estava paradinha, tipo brincando de estátua. 
2. As plaquinhas de legendas cronológicas eram mini! Tudo bem que eu sou cegueta, gente, mas oi? Ter que se aproximar de cada placa, quase grudando o zóio pra conseguir entender o que tá escrito, é fora de cogitação. Principalmente numa exposição que anda bem cheinha. Talvez seja por conta da luz, sei lá, sei que perdi muita informação por falta de conseguir enxergar. 

O resto tá ótimo. Uma lindeza só!

6 comentários:

  1. Pq vc não citou Heroes, a MELHOR musica dele?? E eu AMO Space Odity tb

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque essa eu ja sabia que era dele! Hehehe.

      Excluir
  2. Garota se eu estivesse ai, vc não ia precisar de tentar ler plaquinha micro. Eu ia te falar tu-di-nho! Qd abriram esta mostra até coloquei link no Facebook para que estivesse em SP não perdesse a chance de curtir o q eu não ia poder ver!
    Se este camaleão está há 50 anos na estrada, então tem e décadas e meia q o adoro! Ele é bárbaro como compositor, cantor e ator. Sim!
    O 1º filme q vi foi O Homem que Caiu na Terra. Choquei. O 2º foi Fome de Viver. Babei.Vale tb assistir "Merry Christmas, Mr Lawrence" (Furyo), mas gostei mesmo foi a trilha do Riyuishi Sakamoto.
    Gostei dele até na fase pop dos '80.
    Adorei q vc foi lá e fez este post sobre o Bowie.
    Bjk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dizer, que tem 3 décadas e meia q eu o curto.
      Bj.

      Excluir
    2. Puxa... se eu soubesse que vc era assim tão fã, tinha pedido assessoria pra escrever o post. De certeza tinha ficado mais completo e divertido!

      Excluir
  3. Sim, o Bowie é um cara multifacetado e inteligente. Não chega a ser unanimidade - o que é bom - mas um grande artista, manipulador da curiosidade humana e do tempo certo. Sabe das coisas.

    :)

    ResponderExcluir